Posts

O lado negativo das decisões em grupo

Por Alfredo Pinto*

Tomar decisões em grupo faz parte da rotina das empresas.

Resolver problemas, desenvolver novos produtos ou estabelecer normas são exemplos de ações raramente tomadas de forma individual. Essa interação em geral produz excelentes resultados. Diversos pontos de vista sobre uma mesma questão aumentam as chances de obter soluções completas e eficazes.
Leia mais

Bain & Company abre inscrições para o maior desafio de cases da América Latina para universitários

Iniciativa proporciona a estudantes oportunidade única de vivência na consultoria

A Bain & Company, uma das principais consultorias de negócios do mundo, abre amanhã (21/03) as inscrições para mais uma edição do Desafio Estratégico, uma competição que tem como objetivo proporcionar a estudantes a vivência real de trabalho em uma consultoria. Os participantes receberão um business case real e, com a orientação de profissionais experientes da Bain & Company, deverão trabalhar em grupos para encontrar soluções e apresentá-las à banca julgadora. As melhores equipes do Brasil serão contempladas com a oportunidade de participar da fase final do processo seletivo e, além disso, disputam a final Latino-Americana com os vencedores da Argentina, Chile e México.

Leia mais

Fundos de Private Equity arrecadaram mais de US$ 500 bilhões em 2016, segundo estudo da Bain & Company

A Bain & Company lançou a nova edição do Global Private Equity Report, que analisa globalmente os mercados dessa classe de ativos. Segundo o estudo, a indústria de private equity levantou U$ 589 bilhões no ano passado, enquanto os investimentos sofreram queda de 18% em âmbito mundial, mas permaneceram em níveis elevados, e os desinvestimentos caíram 23% em valor, também próximos aos níveis recordes.

Leia mais

Gestores exercem papel essencial na motivação e confiança das mulheres para chegar à liderança

Estudo da Bain & Company mostra que as exigências para profissionais do sexo feminino e masculino são diferentes, mas chefes da linha de frente conseguem impulsionar as profissionais em suas carreiras

A Bain & Company, em parceria com o LinkedIn, desenvolveu a pesquisa Charting the Course: Getting Women To the Top, que analisou o comportamento de homens e mulheres na trajetória aos cargos de liderança. De acordo com os dados, mesmo com 5 a 15 anos de experiência (ou meio da carreira), as mulheres estão em desvantagem quando o quesito é motivação: 56% delas demonstram interesse em ocupar posições de chefia, enquanto o índice dos homens é de 64%. Essa diferença aumenta para 11 pontos porcentuais a favor deles quando se trata de autoconfiança (57% das mulheres acreditam que conseguirão ocupar um cargo de liderança versus 66% dos homens).
Leia mais

Bain & Company elege as 10 tendências para o varejo internacional em 2017

O varejo enfrenta desafios diferentes todos os anos para conquistar clientes que estão cada vez mais exigentes e demandando serviços diferenciados das empresas que, nesta era digital, já estão apostando em recursos tecnológicos para manter a competitividade. Diante desse cenário, a Bain & Company selecionou 10 tendências para o setor internacional que devem movimentar o mercado. São elas:

Leia mais

Brexit pode ser bom para o Brasil?

De acordo com pesquisa da Bain & Company, o cenário de um Brexit moderado ou agressivo, que pode incluir um rompimento com o mercado livre da União Europeia, deve gerar bloqueios na cadeia de abastecimento que reduziriam o lucro líquido das principais indústrias do Reino Unido em até 30%, o que equivale a R$11,97 bilhões. Esse é o impacto previsto, considerando a ruptura brusca que mudaria o padrão dos tributos (alta de 2% a 10%) sobre todas as importações e exportações e o aumento de 10% no custo de trabalho local, além de uma desvalorização de 20% da libra. A consultoria avalia que nesse caso países fora da Europa que exportam produtos para o Reino Unido, como o Brasil, teriam taxas menores e, portanto, se beneficiariam. Os setores ingleses que enfrentariam mais dificuldades nesse cenário são o de varejo alimentar, o automotivo e o de tecnologia, que veriam cair os lucros de 20% a 30%, enquanto os segmentos farmacêutico e aeroespacial teriam vantagens.

Leia mais

Oráculo dos clientes: quais os valores que mais importam para conquistá-los?

Um problema recorrente enfrentado pelos executivos é a busca constante por inovações que revolucionem o mercado. Para criar um produto ou serviço realmente novo como o iPhone, que mudou toda uma indústria e ainda gerou um crescimento sem precedentes na receita da empresa, é preciso antecipar os anseios e valores dos consumidores. Essa é uma tarefa bastante complicada, já que as preferências e expectativas são subjetivas e dependem do psicológico de cada indivíduo.

Leia mais

A era digital dos bancos

Estudo da Bain & Company alerta que bancos podem perder mais de US$ 150 bilhões, se não adotarem a tecnologia distributed ledgers

A Bain & Company entrevistou mais de 50 profissionais (banqueiros, fundos de capital, especialistas em TI, executivos de associações internacionais de meios de pagamento e CEOs de startups) para entender quais as implicações da tecnologia distributed ledgers para os bancos. Baseada nas respostas foi possível concluir que as instituições financeiras ainda não possuem a capacitação necessária para a utilização desse recurso – também conhecido como moeda digital – nos meios de pagamento internacionais (cujo valor atual gira em torno de US$ 150 a US$ 200 bilhões).

Leia mais

Mercado de diamantes cresce 3% em 2015, afirma estudo da Bain & Company

Redução da demanda chinesa e desvalorização do dólar, no entanto, puxaram o resultado para baixo, considerando o ano anterior

A Bain & Company, em parceria com o Centro Mundial de Diamantes da Antuérpia, lançou a sexta edição anual do Relatório Anual da Indústria de Diamantes. Segundo a pesquisa, o setor alcançou crescimento de 3% no ano passado, resultado dois pontos porcentuais inferior a 2014, em virtude da desvalorização do dólar e do menor consumo da joia no mercado chinês.
Leia mais

Como o agronegócio pode se estruturar para suportar o crescimento da demanda mundial

Pesquisa da Bain & Company revela as estratégias para ser bem-sucedido no segmento

O futuro do setor agrícola mundial deve ser promissor. De acordo com estudo da Bain & Company, nos próximos 40 anos a demanda vai exigir aumento de 60% na produção das principais culturas, e o comércio global pode quadruplicar também nesse período. Mas será que as empresas estão prontas para enfrentar esse desafio? Pensando nisso, a consultoria elencou oito estratégias baseadas em cases de sucesso, que podem ser adotadas pelas companhias do segmento. São elas:

Leia mais